Últimas Notícias

Publicada em 13/07/2017 - 23h52
Por Francisco Alves

Marcelo Castro defende Lula e compara condenação a "Inquisição"

Durante seu pronunciamento na tribuna da Câmara, o deputado disse que justiça toma caminho da convicção acima das provas.


publicidade


Foto: Reprodução Marcelo Castro defende Lula e compara condenação a "Inquisição" Deputado federal Marcelo Castro (PMDB-PI)

O deputado federal Marcelo Castro (PMDB/PI) usou a tribuna da Câmara dos Deputados, nesta quinta-feira, dia 13 de julho, para criticar a Condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a nove anos e seis meses de prisão, foi tomada sem que houvesse qualquer prova contra o ex-presidente.

Confira abaixo o discurso na integra – texto

“Estamos vivendo um momento triste da vida nacional e não gostaria de passar para história como omisso, neste momento que estamos vivendo. Me refiro a condenação, ocorrida, ontem, do ex-presidente Lula, que sem nenhuma dúvida é um dos brasileiros que tem uma das mais ricas biografias, de uma história de luta que começou com grande dificuldade, como retirante do nordeste que se torna presidente da republica.
Não é um presidente a mais, mas um dos melhor presidentes que o nosso pais já teve em toda sua história.

Mas, o que me refiro aqui é sobre o caminho que a justiça do Brasil e o ministério publico do Pais estão tomando. Esse caminho, da convicção acima das provas, já esta na história como dos caminhos mais negros que a humanidade já prosseguiu.

Quem não se lembra de Torquemada? Quem não se lembra da Santa Inquisição? Quantas pessoas foram à fogueira, sem provas, mas, com absoluta convicção de que elas estavam endemoniadas e que, portanto, mereciam ir pra fogueira e de fato muitas foram.

Quantas injustiças não foram cometidas? E, é como eu vejo este momento que nós estamos vivendo com a condenação do ex-presidente Lula, sem provas e sem fatos.

Sobre o que toda sociedade brasileira conhece sobre esse triplex? Que o lula não morou no tríplex, não comprou, não pagou, não recebeu, não registrou, não passou escritura, não está na sua declaração de imposto de renda, pelo contrário:
Está na declaração de imposto de renda da OAS!

Por mais que se queira inferir, se queira fazer deduzir, que se queira fazer ilação, nós não podemos sair do leito natural do direito, que rege o mundo civilizado.

A evolução da sociedade mundial chegou a um patamar de civilização onde há o império da lei, onde há o devido processo legal, onde há, inequívoca, apresentação de provas para que se possa haver uma condenação.

Condenar sem provas, condenar por convicção, como um procurador tem o desplante de dizer em cadeia nacional para toda a sociedade brasileira, dizer para os juristas ouvirem, para os estudantes de direito ouvirem uma blasfêmia dessas: de que ele não tem provas, mas que ele tem convicção.

Convicção não é prova e condenar sem prova é um caminho que a sociedade brasileira precisa estar alerta e que nós precisamos parar com isso sob pena de cometer muitas injustiças, como eu acho que esta, nesse caso do ex-presidente Lula, foi cometida”.


Fonte: Da Redação


Tópicos: marcelo, castro, Deputado

Avaliação:

publicidade